Os hormônios desempenham um papel muito importantante no funcionamento do nosso corpo, e cada um deles é responsável por um trabalho bem particular. Enquanto um dos hormônios nos faz sentir fome, outro faz exatamente o oposto. Um diz ao nosso cérebro que precisamos armazenar gordura para qualquer eventualidade, e outro envia o sinal de que é hora de queimar calorias como se não houvesse amanhã. O crucial é aprender a “ligar” os hormônios que desejamos e “desligar” os indesejáveis.

Nós, do Incrível.club, achamos fascinante as mudanças que os hormônios podem proporcionar ao corpo humano, e sugerimos que você também aprenda mais sobre eles.

6 Maneiras de ativar os hormônios que queimam gordura

1. O hormônio que nos faz sentir fome

grelina é o “monstrinho” da fome. Estamos falando do hormônio responsável por mandar ao cérebro o alerta de que está na hora de comer. O mais interessante é que a redução na ingestão de calorias estimula a produção de grelina. Mesmo depois de uma dieta pouco calórica com 12 meses de duração, o nível da substância continua alto. Esse um dos motivos pelos quais dietas com poucas calorias não funcionam em longo prazo. Nosso corpo simplesmente não consegue se adaptar a ela.

O que fazer?

A boa notícia é que exercícios cardiovasculares intensos podem derrubar a concentração de grelina.

Atividades cardiovasculares englobam praticamente tudo: corridas, musculação, boxe o importante é que o exercício faça os batimentos cardíacos atingirem determinado nível. Chegar nesse ponto é fundamental, e existem diversas ferramentas capazes de ajudá-lo a conquistar o objetivo. Mas existe uma maneira fácil de saber se você chegou lá. Caso esteja com a respiração pesada e ainda seja capaz de falar, mas não consiga cantar, é porque seu batimento cardíaco está, provavelmente, no nível correto.

2. O hormônio que faz com que comamos menos

Felizmente, nosso corpo produz também hormônios que dizem ao cérebro para queimar mais calorias e comer menos. A leptina é um deles. Ela é produzida pelas células de gordura, ou seja, quanto mais gorda a pessoa, maior será a concentração de leptina no corpo. Pode parecer positivo, mas a verdade não é bem essa. Depois de um certo ponto, nosso organismo desenvolve o que os especialistas chamam de resistência à leptina, condição que impede o cérebro de “ler” a mensagem enviada por aquele hormônio.

O que fazer?

A solução é simples. Alimentos que são ricos em antioxidantes aumentam a sensibilidade à leptina. A lista de produtos com essa característica é muito longa, e você certamente encontrará nela algo de que goste. Perder peso tem o mesmo efeito e, eventualmente, quanto maior for sua perda de peso, mais forte será o efeito da leptina.

3. O hormônio que absorve açúcar

insulina é de extrema importância para nosso bem-estar. O hormônio regula os níveis de açúcar no sangue e nos ajuda na recuperação depois da prática de exercícios. Nosso corpo libera insulina quando ingerimos carboidratos, ajudando na absorção de glicose. A glicose é transformada em energia, mas quando temos mais glicose de que precisamos, o excesso acaba virando gordura.

O que fazer?

A solução é obter mais carboidratos de grãos, vegetais e frutas, que possuem baixo índice glicêmico (IG). Quanto mais baixo o IG, mais lentamente a glicose é liberada, e mais tempo temos para utilizá-la. Isso não quer dizer que você precise seguir uma dieta rígida. Basta substituir alimentos com IG alto por aqueles de IG baixo. Por exemplo, o arroz branco pode dar lugar ao integral. Já a batata-doce pode ficar no lugar da batata-inglesa. É simples!

4. O hormônio que manda o corpo queimar gordura

adiponectina também é produzida pelas células de gordura. O mais curioso envolvendo esse hormônio é que ele aumenta nossa sensibilidade à insulina, fazendo o corpo queimar gordura para consumi-la em forma de energia. Pode soar estranho, mas a verdade é que a adiponectina vem da gordura e queima gordura. E diferentemente da leptina, quanto mais magro estamos, maior a concentração de adiponectina.

O que fazer?

Você pode aumentar os níveis de adiponectina se movimentando mais durante o dia e acrescentando à dieta gorduras monoinsaturadas, como peixes, nozes, abacate e azeite de oliva. Ingerir carboidratos com baixo IG no jantar também estimula a produção de adiponectina.

5. O hormônio que utiliza a gordura

glucagon é o hormônio que faz o trabalho contrário ao da insulina. Ele auxilia na quebra de carboidratos e gorduras acumuladas, transformando-os em energia. Quanto mais glucagon em nosso corpo, mais magro ficamos.

O que fazer?

Alimentos ricos em proteína e pobres em gordura representam o melhor caminho para elevar os níveis de glucagon, e eles são deliciosos! Peixes, carne vermelha, frutos do mar, tofu e nozes são apenas alguns dos exemplos.

6. O hormônio que reduz o apetite

adrenalina é liberada quando vivenciamos emoções intensas, como medo, raiva ou qualquer outra que exija reação rápida. Por isso, é chamada por alguns de “hormônio do estresse”.

Basicamente, o hormônio entra em funcionamento em situações muito específicas, quando o cérebro nos avisa que é preciso estar preparado para usar a força ou sermos rápidos. Ao mesmo tempo, o corpo entende que deve começar a usar gordura acumulada como fonte de energia. A substância atua ainda cortando o apetite, deixando o corpo mais preparado para entrar em ação naquele mesmo instante.

O que fazer?

A melhor e mais saudável maneira de aumentar a concentração de adrenalina no organismo é praticando treinos intervalados de alta intensidade.

O chamado HIIT é um treino relativamente curto, que dura geralmente até 30 minutos. Em termos gerais, é uma combinação de exercícios cardiovasculares curtos, levando de 30 segundos a um minuto, em que a pessoa deve ir até o máximo do esforço e, em seguida, descansar por igual período. Um exemplo é fazer 30 segundos de corrida intensa, depois um minutos de caminhada lenta.

Não tem muito tempo? Experimente um treino super intenso que pode ser feito em apenas 4 minutos. Acredite, parece muito mais fácil do que realmente é.

Pretende colocar em prática alguma das dicas que demos nesse post? Ou tem outras estratégias para ativar os hormônios certos para seus objetivos? Deixe seu comentário!

Illustrated by Elena Sorokina exclusivo para Incrivel.club

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Saúde & Bem Estar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Morre criança baleada durante ação da Polícia Militar do RJ

Agatha Vitória Sales Félix, 8, morta por um disparo da PM no Rio (Arquivo Pessoal/Reproduç…