Connect with us
A Despedida de Campinas à Léa Ziggiatti, Incentivadora das Artes A Despedida de Campinas à Léa Ziggiatti, Incentivadora das Artes

Destaque

A Despedida de Campinas à Léa Ziggiatti, Incentivadora das Artes

Artigo

em

Campinas, uma das maiores cidades do Brasil, teve que dizer adeus à uma de suas mais importantes incentivadoras das artes, Léa Ziggiatti.

Quem Foi Léa Ziggiatti?

Léa Ziggiatti, uma mulher de muitos talentos, deixou sua marca indelével na cidade de Campinas. Ela foi uma musicista, jornalista, advogada e escritora, e dedicou sua vida à promoção da cultura e das artes na cidade.

PUBLICIDADE

Léa se formou em piano e flauta, evidenciando desde cedo seu amor pela música. Ela também se destacou como jornalista, advogada e escritora. No entanto, foi sua contribuição incansável à arte e à cultura de Campinas que a tornou uma figura emblemática na cidade.

O Legado de Léa Ziggiatti

Durante cinco décadas, Léa foi mantenedora do Conservatório Carlos Gomes, em Campinas, uma instituição criada por seus avós em 1927. O conservatório desempenhou um papel crucial na formação de muitos artistas e músicos talentosos.

PUBLICIDADE

Além de suas contribuições ao conservatório, Léa também foi a fundadora e regente da Orquestra Experimental do Conservatório, de 1965 a 1985. Ela também ajudou a fundar a Orquestra Sinfônica Universitária, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), que mais tarde deu origem à Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, em 1970.

Léa também era uma escritora talentosa, tendo escrito várias peças e livros infantis, como ‘Gifredo, Anjinho das Reformas’.

PUBLICIDADE

A morte de Léa Ziggiatti, aos 87 anos, causou uma grande perda para a cidade de Campinas. No entanto, seu legado continua vivo através das muitas instituições e iniciativas que ela ajudou a promover e apoiar.

Homenagens à Léa Ziggiatti

A cidade de Campinas e a comunidade artística prestaram suas homenagens à Léa Ziggiatti após sua morte. A Academia Campinense de Letras expressou sua solidariedade pela partida de Léa, reconhecendo sua contribuição significativa para a cultura da cidade.

PUBLICIDADE

O presidente da academia, Jorge Alves de Lima, destacou a dedicação e o trabalho abnegado de Léa em suas responsabilidades, e como ela deixou seu nome esculpido na história da cidade.

A Secretaria de Cultura e Turismo de Campinas também lamentou a morte de Léa. A secretária Alexandra Caprioli expressou que a cultura de Campinas está de luto com a partida de Léa, que deixou um legado para as futuras gerações de criadores de cultura.

PUBLICIDADE

Conclusão

A morte de Léa Ziggiatti é sem dúvida uma grande perda para a cidade de Campinas. No entanto, seu legado como uma defensora incansável das artes e da cultura continua a inspirar a comunidade artística da cidade.

A contribuição de Léa para a música, a literatura e a cultura em geral em Campinas será sempre lembrada e apreciada. Sua dedicação e amor pela arte e pela cultura deixaram uma marca indelével na cidade, e seu legado continuará a influenciar as gerações futuras de artistas em Campinas.

PUBLICIDADE

Para informações adicionais, acesse o site

‘Este conteúdo foi gerado automaticamente a partir do conteúdo original. Devido às nuances da tradução automática, podem existir pequenas diferenças’.
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE