Connect with us

Destaque

Retoma SP: Desenvolve SP oferece crédito para empresários

Artigo

em


Financiamento facilitado ajuda na retomada de negócios e geração de empregos; banco estadual tem linhas de crédito para capital de giro.

O Desenvolve SP, banco do Governo do Estado, oferece linhas de crédito para capital de giro para impulsionar a retomada da economia, auxiliando micro, pequenas e médias empresas com despesas operacionais. Com taxas reduzidas e prazos de até cinco anos para pagar, o financiamento garante fôlego ao caixa e facilita o dia a dia dos negócios.

A instituição participa dos eventos Retoma SP, roadshow da retomada da economia que passará por todas as regiões de São Paulo. O Desenvolve SP já esteve em Campinas, Presidente Prudente, São Carlos, Franca e São José dos Campos, e estará nos próximos eventos em Ribeirão Preto, Bauru, Marília, Baixada Santista, Sorocaba, São José do Rio Preto, Itapeva, Vale do Ribeira e região metropolitana de São Paulo.

Os encontros, dirigidos a empresários, gestores municipais, representantes de entidades e comerciantes, têm como objetivo apresentar os diversos serviços oferecidos pelos órgãos do governo estadual para acelerar a economia paulista.

Crédito para capital de giro

Por meio das linhas de capital de giro, empreendedores podem solicitar crédito para recomposição de estoques, pagamento de funcionários e fornecedores, compra de insumos e matéria-prima e outras necessidades. A modalidade impulsiona os negócios, garantindo o equilíbrio do caixa e acesso a recursos que asseguram o fluxo operacional das empresas.

A solicitação de crédito é 100% online, realizada diretamente no site www.desenvolvesp.com.br. Para auxiliar os empreendedores com a apresentação de garantias, o banco oferece a opção do Fundo de Aval – FDA, fundo garantidor criado pelo Governo do Estado, ou o Fundo Garantidor de Investimentos – FGI.

Linhas de crédito

Crédito Digital – Giro Micro e Pequena

Financiamento ao capital de giro de forma simples e rápida, automatizada por meio da plataforma do programa Crédito Digital.

Podem solicitar: Micro e pequenas empresas (faturamento anual de R$ 81 mil até R$ 4,8 milhões) e empresários individuais (faturamento anual superior a R$ 81 mil até R$ 4,8 milhões).

Taxa: A partir de 0,80% ao mês acrescidos da SELIC

Prazo: 60 meses*

Carência: 12 meses

* incluindo a carência

Crédito Digital para Microempresas

Linha de crédito de capital de giro para amparar microempresas do Estado de São Paulo no enfrentamento dos impactos financeiros causados pela pandemia do coronavírus.

Podem solicitar: microempresas (faturamento anual até R$ 360 mil) dos segmentos de comércio, turismo e cultura e economia criativa, com o mínimo de 12 meses de faturamento e constituição.

Taxa: 1,00% ao mês acrescidos da SELIC

Prazo: 60 meses*

Carência: 12 meses

* incluindo a carência

Crédito Digital – BNDES Pequenas Empresas

Financiamento ao capital de giro, via BNDES Automático – Linha Crédito Pequenas Empresas, de forma simples e rápida.

Podem solicitar: médias empresas (faturamento anual superior a R$ 4,8 milhões até R$ 90 milhões) e empresários individuais (faturamento anual superior a R$ 4,8 milhões até R$ 16 milhões).

Taxa: a partir de 1,74% (0,59% acrescidos da TLP) ao mês

Prazo: 60 meses*

Carência: 12 meses

* incluindo a carência

BNDES Automático – Linha Crédito Pequenas Empresas

Linha de repasse do BNDES voltada a promover a competitividade das empresas dos setores de indústria, comércio e serviços.

Podem solicitar: empresas (pessoas jurídicas de direito privado ou empresários individuais) que possuam sede e administração no Estado de São Paulo.

Taxa: a partir de 1,74% (0,59% acrescidos da TLP) ao mês

Prazo: até 60 meses*

Carência: até 12 meses

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP

ÁGIL DPVAT

Com informações Repórter Beto Ribeiro

Destaque

Empresa abre 150 vagas de emprego com quatro lojas físicas em cidades da região

Artigo

em

Por

A operadora de telecomunicações Desktop está com 150 vagas abertas de emprego para São José dos Campos, Taubaté, Jacareí e Caçapava. Quatro lojas serão inauguradas em cada cidade, com investimento de R$35 milhões com a chegada da empresa na região.

 As vagas abertas são para consultor de vendas externo e interno, instalador técnico de manutenção, auxiliar de backoffice, supervisor comercial, supervisor de manutenção, além de cargos administrativos.

 Os interessados às vagas, devem se inscrever no site Desktop e cadastrar-se no menu ‘Trabalhe Conosco’ ou se candidatar via e-mail [email protected], colocando no assunto o cargo desejado.

 Não é necessário experiência anterior ou graduação para as ocupações. A empresa oferece benefícios como vale-transporte e assistência médica. É obrigatório ter mais de 18 anos de idade.

 A operadora de serviço de internet, tv e telefone chega a quatro cidades da região, instalando uma loja física em cada uma. No mercado desde 1997 com sede em Sumaré, atua em mais de 70 cidades no estado de São Paulo. O investimento de R$35 milhões faz parte da expansão da empresa no estado.

Continue lendo

Destaque

Família dorme em carro após Defesa Civil interditar casa em Valinhos

Artigo

em

Por

Rachadura começou como uma trinca no muro da residência em Valinhos (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)

Uma família de Valinhos dormiu no carro após a Defesa Civil interditar parte de uma casa no Jardim Bela Vista, em Valinhos, porque o imóvel está com problemas graves de rachaduras. Além disso, outras três casas vizinhas também estão com o mesmo problema.

A casa interditada parcialmente fica na Rua Casemiro de Abreu. A moradora, Maria Cristina Belezine, explica como o problema começou e diz que as rachaduras apareceram após um vazamento na rua.

“Eu moro na esquina e no cruzamento (da rua) tinha um vazamento. Toda a noite essa caixa ficava cheia e vazava muito. A primeira foto que eu tirei do muro foi no dia 29 de maio. Tinha aparecido uma trinca. E essa trinca abriu consideravelmente em dois dias”, contou. 

LEIA TAMBÉM 
Inflação: carne de porco registra aumento de 26% nas vendas no estado de SP
 
Cinco bairros de Campinas ficarão sem água amanhã; veja a lista 
Paulínia oferece 719 vagas de emprego com atuação na Replan 

Ainda segundo ela, logo em seguida a trinca virou uma rachadura. “Mas, até então, a gente não tinha ligado o fato do vazamento com o muro rachando e a minha casa também. Nós fomos até a Defesa Civil e eles agendaram para vir. Entraram, fizeram a vistoria e pediram para a gente sair da casa”, disse.

Maria Cristina contou ainda que uma das paredes da casa já caiu, e está escorada apenas pelo portão. “Nós dormimos duas noites no carro, encostado na rua. Um engenheiro passou por aqui e liberou pra gente dormir na parte de trás da casa”, disse. Ela falou que o DAEV não deu retorno de informações após consertar o vazamento.

“Diariamente, a gente percebe alguma coisa diferente após inspecionar pela manhã. Caiu algum pedaço…”, disse. 

Rachadura na parte interna da casa (Foto: Reprodução/EPTV Campinas) 

O QUE DIZ O DAEV

Sobre o caso, o DAEV (Departamento de Água e Esgoto de Valinhos) disse que fez reparos em um vazamento de pequena proporção em uma caixa de registro nos dias 21 e 22 deste mês.

Em nota oficial, o Departamento disse que: “é importante ressaltar que não havia contato de munícipes sobre esse vazamento”.

Após as obras, realizadas a aproximadamente 4 metros da casa, a equipe fez analise de solo e não identificou vazamento no entorno.

O Daev disse ainda vai fazer outra analise usando sensores e filmagem. O órgão informou ainda que está contratando um perito para analise da estabilidade do solo com sondagem, para emissão de um laudo final.

“Assim, somente após os relatórios e os resultados de sondagens (diagnóstico completo) é que teremos condições técnicas para posicionarmos”, explicou. 
 
LEIA MAIS 
Pai e filho são presos com fuzil e pistolas em Campinas

Continue lendo

Destaque

Pandemia e crise: número de trabalhadores informais cresce em Campinas

Artigo

em

Por

Número de trabalhadores informais cresce em Campinas durante a pandemia (Foto: Reprodução/EPTV)

O número de trabalhadores informais vem crescendo nos últimos meses, em Campinas. A pandemia e a crise causaram a perda de renda e trabalho, e a alternativa foi oferecer produtos e serviços nas ruas para garantir o sustento da família. 

Sem conseguir um emprego formal há um ano, Rafael Santos conquista o sustento da família em semáforos de Campinas, vendendo balas. 

“Cada segundo que eu perco, é dinheiro que vai embora. Só de saber que no final do dia eu vou conseguir levar um alimento para a minha casa, para a minha família, é o mais importante pra mim”.  
 
LEIA MAIS 
Família dorme em carro após Defesa Civil interditar casa em Valinhos 
Operação resgata 25 bolivianos de trabalho análogo à escravidão em Indaiatuba

Assim como Rafael, outras pessoas perderam o emprego na pandemia e não conseguiram mais uma função com a Carteira de Trabalho assinada. Portanto, os instantes diante de um semáforo movimentado são essenciais. 

“Você tem que ter perna, porque se eu andar ali, não vou arrumar o meu dia. Tenho que correr do primeiro semáforo até o segundo, correndo. Subo e desço três vezes: uma espalhando as balas, a outra desço correndo e a terceira subindo, pegando a bala ou o dinheiro”, contou o ambulante Cássio Araújo. 

TENDÊNCIA 

De acordo com o economista Saulo Abouchedi, a tendência nos próximos anos é a alta da informalidade e a precarização do trabalho. 

“Isso vai exigir não só programas de transferência de renda, políticas sociais, mas também políticas de estímulo ao emprego e à renda. É importantíssimo que o governo, estados e municípios, promovam políticas de geração de emprego e renda, e empregos de qualidade, formais”, afirma. 

SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE 

Além disso, o número de famílias em situação de vulnerabilidade aumentou com a pandemia da covid-19. 

Ao todo, são 107.727 grupos familiares registrados no Cadastro Único atualmente. Segundo a Prefeitura, esse total representa 269.318 moradores. 

Antes da pandemia, em dezembro de 2019, eram 84.853 famílias assistidas. Portanto, houve um aumento de 22.274 famílias. 

De acordo com a Administração, a maior parte dos cadastrados está na faixa da extrema pobreza. Confira os dados abaixo: 

– Extrema pobreza – até R$ 105,00 por pessoa: 54.807 

– Pobreza – R$ 105,01 a R$ 210,00 por pessoa: 9.48 

– Baixa renda – R$ 210,01 a meio salário mínimo por pessoa: 20.468 

– Acima de meio salário mínimo por pessoa: 22.968 

“O desafio é amparar e acolher essas famílias nesse momento, mas buscar também a progressão social. Que essa pessoa possa progredir socialmente. Estamos elaborando estudos para que possamos acolher neste momento e dar condições para que essa pessoa tenha autonomia”, comenta Vandecleya Moro, secretária de Assistência Social. 

O número de famílias cadastradas no CadÚnico de Campinas também teve um aumento de 23,76%. Confira os detalhes abaixo: 

– 2019: 84.853 

– 2020: 87.045 

– 2021: 98.910 

– 2022 (até agora): 107.727 

Segundo a Prefeitura, o cadastramento de famílias pode ser feito nos Cras (Centros de Referência em Assistência Social). O interessado deve ligar no telefone 156 da prefeitura para ser direcionado ao atendimento. 
 
LEIA TAMBÉM 
Unicamp ganha estação para captar meteoros em Campinas; veja flagrantes

Continue lendo
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

TAGS

+ VISTOS