Movimento IPTU Justo Campinas, em frente ao Paço Municipal, reuniu ontem à tarde cerca de 60 pessoas

Denny Cesare/AAN

Movimento IPTU Justo Campinas, em frente ao Paço Municipal, reuniu ontem à tarde cerca de 60 pessoas


As sucessivas altas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em Campinas levaram cerca de 60 pessoas a se manifestarem em frente à Prefeitura (Paço Municipal) e também na Câmara de Vereadores (Avenida da Saudade), na tarde de ontem. O ato é liderado pelo Movimento IPTU Justo Campinas. Um projeto de lei em tramitação no Legislativo campineiro propõe a revogação do aumento de 10% do imposto previsto para 2020.

Entidades como Associação Regional da Habitação (Habicamp) e Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) também estiveram representadas. Durante o protesto, os manifestantes utilizaram camisetas brancas com frases como “IPTU abusivo é menos segurança”, “menos otimismo”, “menos turismo” e “menos valorização”. Um dos idealizadores do ato, o empresário Luiz Piccoloto Neto afirmou que o IPTU em Campinas tem se tornado “impagável”.

“Nossa economia vive uma recessão há anos e não tem condição que Campinas enfrente um aumento desses. Um IPTU abusivo desses puxa o freio de mão da economia, e isso é inadmissível num momento desses”. O estudante Lucas Trevizan, de 26 anos, também reclamou. “As ruas esburacadas e a saúde e transporte público colapsados dessa cidade não refletem o IPTU caro que pagamos.

Em reunião na sede da Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic) no início de janeiro, o Movimento IPTU Justo Campinas chegou a propor um boicote ao pagamento do imposto neste ano. Ontem, o grupo recuou da ideia, mas prometeu seguir cobrando uma postura da Prefeitura. Neste ano, a Prefeitura de Campinas estima arrecadar R$ 731,9 milhões com o IPTU. A alta do imposto em 2019 pode variar de 4% a 14,4%. Em nota, a Prefeitura informou que a atualização da Planta Genérica de Valores (PGV) é uma necessidade, prevista no Estatuto das Cidades.

“O maior exemplo é que 100 mil famílias de baixa renda estão isentas do pagamento do IPTU em 2019. Outros 108 mil contribuintes tiveram redução do imposto, se comparado com 2017. Outro indicativo é que o número de pedidos de revisão ou impugnação dos valores do imposto vem diminuindo”, aponta o texto.

Escrito por:

Renato Piovesan


Fonte: RAC

Artigos relacionados
Carregar mais por admin
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Pesquisa do Icesp indica tipos de tumores mais tratados por pacientes

Números são referentes às pessoas que realizam o tratamento …