A cidade de Campinas tem até o mês de março para concluir o projeto da implantação da escola cívico-militar, porém como tudo está barrado pela Justiça, o prefeito Jonas Donizette já estuda uma outra alternativa.

Como o caso da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Odila Maia Rocha Brito, escolhida para receber o projeto, segue parado, Jonas disse que poderá solicitar a instalação de uma nova escola na cidade, com gestão cívico-militar.

O prefeito disse estar em conversa com um general e que se for o caso, a prefeitura poderá doar um terreno para a construção da nova escola. O caso da escola Odila Maia Rocha Brito segue parado pois foi concedida uma liminar pedida pela Promotoria de Infância e Juventude de Campinas, pois segundo ela não houve debate suficiente com a sociedade sobre o novo modelo.

Pais de alunos interessados na transformação da escola em cívico-militar já fizeram um abaixo-assinado com mais de 600 nomes, que já foi entregue à prefeitura. Como não conseguiu na justiça a derrubada da liminar, a prefeitura agora pensa no novo caminho. Caso não seja dada uma reposta efetiva, Campinas poderá ficar de fora do projeto. É a única cidade paulista escolhida para receber o novo modelo com investimento de 1 milhão de reais.

Da Redação ODC.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também

Coronavírus: prefeituras da região de Campinas confirmam novos casos neste sábado, 19 de setembro

1 de 1 Ilustração mostra a morfologia do novo coronavírus — Foto: Alissa Eckert, MS; Dan H…