Quer receber as principais Notícias de Campinas e região pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.

O Secretário de Saúde, Carmino de Souza, participou da abertura

Luiz Granzotto

O Secretário de Saúde, Carmino de Souza, participou da abertura

Começou nesta segunda-feira (24) a 1ª Semana de Prevenção e Controle da Febre Maculosa em Campinas. A abertura foi marcada por um seminário, realizado no período da manhã no Salão Vermelho do Paço Municipal. O evento foi dirigido a gestores municipais de 11 órgãos públicos que estão reunidos para traçar ações de combate e prevenção à febre maculosa.

A programação continua na quarta-feira (26), com uma capacitação de profissionais de saúde na Faculdade Anhanguera. Na quinta-feira (27), terá um evento para trabalhadores que atuam em área de risco de febre maculosa, como parques onde as capivaras hospedeiras do carrapato estrela habitam. 

No dia 4 de junho, foi realizado um treinamento para funcionários da saúde de como detectar precocemente os sintomas da doença.

A Semana tem como objetivo divulgar ações de prevenção e orientação para gestores e profissionais de saúde, além de mostrar as ações desenvolvidas pelo Plano de Ação Municipal Intersetorial para prevenção da Febre Maculosa Brasileira em Campinas e, com isso, multiplicar essas informações até que cheguem à população. 

A data da Semana foi escolhida pelo fato de que nos meses de junho a outubro são registrados mais casos de febre maculosa na cidade. A doença ainda é de baixa prevalência, mas de alta letalidade.

Desde 2007, foram 92 casos em Campinas e 43 mortes, com uma taxa de letalidade de 46,7%. A maioria dos casos é em homens de 20 a 49 anos, que contraem a doença em atividades de lazer em áreas de risco (como pescaria, por exemplo) e trabalhadores de parques e outros locais onde é alta a incidência de capivara e do carrapato-estrela. 

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), Andrea Von Zuben, destacou a importância do Plano Municipal Intersetorial. “O Plano de Ação é uma iniciativa inovadora para nortear medidas que culminem na redução da febre maculosa. Campinas é a única cidade do Brasil a ter um trabalho deste tipo”, ressaltou.

Escrito por:

Do Correio

Fonte: RAC

Artigos relacionados
Carregar mais por Redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Qualidade do ar na Região Metropolitana de SP registra melhora

Os níveis dos poluentes atmosféricos monóxido de carbono (CO) e dióxido de enxofre (SO2) r…