Campinas divulga detalhes do plano de vacinação contra o novo coronavírus

Campinas divulga detalhes do plano de vacinação contra o novo coronavírus

A vacinação contra Covid-19 em Campinas (SP) terá cinco centros de imunização na 1ª etapa, cada um deles com capacidade para aplicar diariamente até 1 mil doses, segundo o prefeito, Dário Saadi (Republicanos). Durante transmissão por redes sociais, na tarde desta quinta-feira (14), ele reiterou que a meta é vacinar 209,3 mil pessoas, a partir dos profissionais da saúde que atuam na linha de frente contra o novo coronavírus, e reforçou que há necessidade de agendamento pelo site da prefeitura.

A data de início da ação ainda é incerta, uma vez que ela depende de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberar o uso emergencial das doses da CoronaVac e Astrazeneca. Além disso, o cronograma de aplicação por grupos depende da quantidade de doses recebida pelo município. Veja abaixo detalhes do esquema.

Centros de imunização

As doses em Campinas serão aplicadas em cinco centros de imunização, distribuídos em diferentes regiões, dos quais quatro já estão definidos. Elas ficarão armazenadas em almoxarifados da metrópole e em todos eles haverá reforço na segurança pela Guarda e Polícia Militar, diz o governo.

  • Centro de Vivência do Idoso – Parque Taquaral
  • Clube Círculo Militar de Campinas
  • Escola Municipal Caic Vila União
  • Naed Noroeste
  • Região Sul (em negociação, será próximo ao Hospital Mário Gatti)

Já o esquema de aplicação será feito da seguinte forma:

  • de segunda a sexta, das 8h às 22h;
  • sábado, domingo e feriado, das 8h às 18h;

Também serão enviadas doses para 20 hospitais que têm estrutura para realizar as aplicações nos funcionários. A medida ajuda a evitar a possibilidade de aglomeração nos locais de vacinação.

A princípio, a decisão da Anvisa deve sair domingo (17) para que as doses sejam distribuídas na terça e a medida tenha início na quarta. Contudo, o presidente da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), Jonas Donizette, ex-prefeito de Campinas, afirmou que o atraso no voo que vai buscar doses de vacina na Índia pode adiar o início para dia 21. A aeronave decolou de Viracopos para Recife (PF) por volta das 16h30 e, de lá, ela seguirá para Mumbai onde buscará 2 milhões de doses da vacina de Oxford.

Campinas apresenta plano de vacinação contra Covid-19 — Foto: Carlos Bassan / PMC

De acordo com o governo municipal, pelo menos 300 profissionais serão mobilizados para este início de imunização. Ainda não está definida qual vacina chegará a Campinas, nem a quantidade, mas a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), Andrea Von Zuben, reforçou que todas são seguras. “Vacinem-se com qualquer uma que chegar. Não precisa escolher”, explica.

O espaço para agendamento pelo site da prefeitura ainda não está disponível para o público. De acordo com a diretora, isso só irá ocorrer quando efetivamente houver definições sobre quantidade e data.

“Vamos abrir agendamentos conforme chegarem as doses. De repente não vai abrir 5 mil no primeiro dia, vamos abrir 2 mil. Não temos como deixar a população na expectativa, dependemos do estado ou do Ministério da Saúde”, ressalta. Além disso, ela ponderou que, embora o agendamento não seja uma medida obrigatória, a orientação é para que isso seja feito para evitar aglomerações e riscos.

“A ideia é não ir sem prévio agendamento. Não é demanda espontânea”, explica. Segundo ela, dúvidas poderão ser esclarecidas pelo telefone 160 ou por centros de saúde próximos das residências

Quem receberá a vacina na 1ª etapa?

Profissionais de saúde, idosos, indígenas e quilombolas. De acordo com a administração municipal, o grupo representa 87% das mortes por Covid-19 na cidade desde o início da pandemia e a expectativa é de que a imunização reduza a quantidade de vítimas.

A prefeitura destaca que só depois de finalizar a imunização dos profissionais de saúde iniciará, consequentemente, a imunização dos outros grupos prioritários previstos nesta 1ª etapa.

Inicialmente, ela previa começar a aplicar as doses no dia 25, conforme estimativa do estado, e encerrar em 22 de março. Com a possível antecipação do início, as datas para cada grupo devem ser revistas, mas a ordem está mantida da seguinte forma:

Férias suspensas

Pela manhã, a Secretaria de Saúde publicou em Diário Oficial uma portaria onde determina as suspensões de férias, licenças-prêmio e o abono de horas de todos os servidores da pasta no período de 1º de fevereiro até 31 de março, em virtude da campanha de vacinação contra o novo coronavírus . “Durante este período, a Secretaria vai avaliar se há necessidade de prorrogação”, diz a assessoria.

O texto da portaria também veta, neste intervalo, a participação dos trabalhadores em cursos, eventos e treinamentos, exceto casos emergenciais ou excepcionais.

Sobre as férias, a pasta definiu que a chefia imediata de cada servidor poderá autorizar, em casos também excepcionais, gozo de 15 dias, desde que não haja afete o atendimento ou gere pagamento de horas extras. Além disso, informou que quem tiver férias agendadas no período terá de remarcar.

“Os servidores que, no dia 1º de fevereiro, já estiverem gozando férias ou licença-prêmio não serão convocados a retornarem aos seus postos de trabalho. Os demais que têm o benefício programado terão que fazer um novo agendamento”, também destacou a secretaria.

Atualmente, a Saúde conta com 4,1 mil servidores, fora o contingente da Rede Mário Gatti, autarquia que administra os hospitais Ouro Verde e Mário Gatti, além das UPAs, excluída desta portaria.

VACINA CONTRA A COVID-19

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também

Mega-Sena, concurso 2.348: aposta do Rio leva sozinha prêmio de R$ 49 milhões

1 de 1 Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até as 19h — Fot…