Coronavírus: Campinas confirma primeira morte de criança; veja atualizações da região

Coronavírus: Campinas confirma primeira morte de criança; veja atualizações da região

No dia em que Campinas (SP) publicou decreto com regras para reabertura parcial do comércio e outras atividades a partir de segunda (8), o cenário de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19 é pior do que o usado como argumento quando o prefeito prorrogou a quarentena. Na ocasião, a justificativa era que havia pressão por leitos de terapia intensiva, principalmente no Sistema Único de Saúde (SUS), que encontravam-se 91,6% ocupados. Nesta quinta (4), mesmo com a ampliação da estrutura médica, o índice de ocupação na rede pública, municipal e estadual, é de 93,7%.

Em nota, a prefeitura informa que ampliou em 70% a quantidade de leitos de UTI Covid no município desde o início da pandemia e que acompanha diariamente as ocupações dos hospitais na cidade. Além disso, defendeu que a abertura do comércio “tem embasamento técnico, inclusive do comitê Covid do Estado”.

“A abertura é gradual e responsável, com uma série de medidas técnicas de segurança. A Prefeitura ressalta que as pessoas que necessitarem terão atendimento garantido, com qualidade, e que a quarentena não acabou”, diz o texto.

Ainda de acordo com a administração, na próxima sexta-feira, 12 de junho, será avaliado “se Campinas poderá manter, ampliar ou recuar, caso necessário, a reabertura dos serviços”.

Cenário fica pior

No dia 30 de maio, quando adiou a reabertura, a cidade contava com 108 leitos de UTI pelo SUS e tinha nove vagas livres. Nesta quinta, após a abertura de mais vagas, são 128, sendo que oito estão livres.

  • Sábado, 30 de maio
    SUS municipal: 59 leitos ocupados / 8 livres
    SUS estadual (AME/Unicamp): 40 leitos ocupados / 1 livre
  • Quinta-feira, 4 de junho
    SUS municipal: 82 leitos ocupados / 5 livres
    SUS estadual (AME/Unicamp): 38 leitos ocupados / 3 livres

É possível observar aumento da demanda inclusive incluindo os leitos da rede privada, que passaram de 65,1% de ocupação para 69,2% em cinco dias, inclusive com aumento de vagas.

Ocupação de UTI para pacientes com Covid-19 (30/05/2020)
Dados da rede pública de Saúde em Campinas
Fonte: Prefeitura de Campinas
Ocupação de UTI para pacientes com Covid-19 (04/06/2020)
Dados da rede pública de Saúde em Campinas
Fonte: Prefeitura de Campinas

No cenário geral, incluindo todos os leitos de UTI da cidade (SUS + rede particular), o índice de ocupação pulou de 79,6% para 82,7% no período.

Para efeito de comparação,na metodologia criada pelo Estado para definir as fases do plano de retomada, taxas de ocupação acima de 80% são classificados como zona vermelha e não zona laranja (Fase 2), que permite a abertura, com restrições, do comércio.

Abertura de novos leitos

Segundo a prefeitura, nesta foram abertos 11 novos leitos de UTI para pacientes com Covid-19 no Hospital Municipal Dr. Mário Gatti e três no Hospital Samaritano.

“Nos próximos dias, serão abertos mais 50 leitos de UTI, sendo seis na Casa de Saúde; dez na Santa Casa; e 15 no Hospital Metropolitano. Também entrarão em funcionamento outras 19 UTIs Covid no Mário Gatti”, informa a administração.

A prefeitura de Campinas defende que “tem feito a abertura de leitos de acordo com a necessidade, garantindo o acesso com qualidade a todos os pacientes”, e lembra que há uma demanda regional por leitos de alta complexidade no município.

“Considerando o contexto regional, a administração ressalta que o cálculo que deve ser feito é da Região Metropolitana de Campinas e não apenas da cidade. Além dos leitos do SUS Municipal, serão abertos mais dez no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) e 18 no Hospital de Clínicas da Unicamp, ambos do SUS estadual, que atenderão principalmente a RMC”, completa o texto.

1 de 2
Hospital Mário Gatti, em Campinas — Foto: Reprodução/EPTV

Hospital Mário Gatti, em Campinas — Foto: Reprodução/EPTV

Casos de Covid-19

Nos cinco dias entre o anúncio do adiamento da reabertura e a publicação do decreto, o número de casos confirmados e óbitos pelo novo coronavírus também deu um salto em Campinas. De acordo com o balanço divulgado pela prefeitura nesta quinta, são 2.298 casos positivos, uma alta de 46% em relação ao sábado, quando havia 1.570 confirmações.

Entre as mortes por Covid-19, o crescimento em cinco dias foi de 26% – são 92 óbitos, incluindo o primeiro de uma criança, contra 73 que havia até sábado (30). Durante a coletiva em que atualizou os números, o prefeito atribuiu o crescimento de casos ao aumento na testagem.

Coronavírus em Campinas
Evolução diária a partir do registro do 1º caso, em 13 de março
Fonte: Prefeitura de Campinas e Estado (dia 02/05)*
Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia do covid-19

Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia do covid-19

2 de 2
Erros e acertos no uso da máscara de proteção contra o coronavírus — Foto: Arte/G1

Erros e acertos no uso da máscara de proteção contra o coronavírus — Foto: Arte/G1

CORONAVÍRUS

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também

Direcional Corretora de Imóveis divulga oportunidade(s) para Corretor de imóveis – Sem experiência – v2081058

Descrição Atuar com a realização de vendas de imóveis, apresentação dos imóveis pessoalmen…