Quando ações integradas podem alcançar boa parte da população, o transporte público pode se transformar também em sinônimo de saúde. Neste início de ano, várias estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) já receberam campanhas importantes, que, além de conscientizar, podem levar informações e prevenção aos usuários das linhas de trens de São Paulo, nas mais diversas regiões.

Em janeiro, a saúde mental foi a temática na Estação Dom Bosco (Linha 11 – Coral). Psicólogos que participaram do “Janeiro Branco” ficaram à disposição dos passageiros, oferecendo atendimento ao público e divulgando a prevenção e o combate ao adoecimento emocional por meio do autoconhecimento.

No mesmo mês, na estação Guaianases (Linha 11 – Coral), parte dos usuários da linha se protegeu contra a febre amarela, bastando apenas apresentar um documento de identificação. “A vacina é extremamente importante e, se tomada com no mínimo de dez dias de antecedência de uma viagem, por exemplo, garante a proteção efetiva”, afirmou a diretora de imunização da Secretaria de Estado da Saúde, Helena Sato.

Apoio

A ação, promovida pela Unidade de Vigilância em Saúde (UVIS) de Guaianases e recebeu o apoio da CPTM, abriu espaços em suas estações para a realização de atividades ligadas à promoção de saúde e bem-estar dos usuários.

“Estamos fazendo o acompanhamento desde o surgimento do primeiro caso de febre amarela e precisamos atender as pessoas que vivem em regiões onde a doença é uma ameaça”, explicou o infectologista Marcos Boulos, que também participou da campanha.

Outras estações, como Domingos de Moraes (Linha 8 – Diamante) e Comendador Ermelino (Linha 12 – Safira), também receberam doses da vacina para os usuários que utilizam as linhas.

Informação e qualidade de vida

Não é só o aumento da temperatura e a possibilidade de contaminação pelo mosquito que preocupam as autoridades de saúde. Em outra região do Estado, os usuários das estações São Caetano e Santo André (Linha 10 – Turquesa) puderam aferir a pressão arterial gratuitamente, entre janeiro e o começo de fevereiro.

A hipertensão acomete 25% dos brasileiros e é responsável por cerca de 300 mil mortes por ano no Brasil. Entre os principais sintomas estão dores na cabeça, no peito, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza e visão embaçada. Apesar de não ter cura, a doença pode ser tratada e controlada por meio de medicamentos e alimentação.

“A hipertensão arterial é uma enfermidade crônica e degenerativa. Hoje, sabemos que o ideal é que a pressão fique entre 120 por 80. Acima disso, é o que chamamos de pré-hipertensão, e acima de 140 por 90 é o que chamamos de hipertensão arterial”, explica Celso Amodeu, cardiologista do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia.

Estilo de vida

E não se trata apenas de uma questão cardiológica. Problemas de pressão também podem ser reflexo de uma vida sedentária e de pouca atenção ao fenômeno da obesidade. Manter um estilo de vida ativo, baseado em uma alimentação saudável e em exercícios regulares, é um ótimo indicador contra a pressão alta.

“O sedentarismo é uma preocupação para todos os cidadãos que vivem em uma cidade como São Paulo. Um dos grandes males causados é a hipertensão”, explica Victor Matsudo, coordenador do Programa Agita São Paulo e diretor-científico do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul (CELAFICS). “O importante é se manter ativo, reservando ao menos 30 minutos diários para atividades físicas”, avalia.

A médica Elisabete Almeida reforça que uma rotina de exercícios físicos deve estar alinhada com uma alimentação equilibrada e saudável. Para ela, o hábito de comer bem deve vir desde cedo. “A obesidade é uma doença que causa problema sérios, como hipertensão, colesterol alto e diabetes. Por isso, é muito importante que crianças e adolescentes saibam desfrutar de refeições saudáveis”, explica.

Durante todo o mês de fevereiro, os usuários que passarem pela estação Jardim Helena-Vila Mara, da Linha 12-Safira da CPTM, terão a oportunidade de se vacinar contra a febre amarela. A ação acontece até o dia 28, de segunda a sexta-feira, das 10h às 15h.

Artigos relacionados
Carregar mais por Redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

MCB celebra Dia das Mães com oficinas e Bazar da Cidade

O Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa…