Connect with us

Notícias

‘Efeito Covid’: Campinas tem semestre mais mortal da história e nascimentos despencam

Published

on

Sepultamento de vítima da Covid-19 em Campinas (SP) — Foto: Osvaldo Furiatto

Um levantamento com dados de cartórios de Registro Civil mostra que nunca se morreu tanto em Campinas (SP) em um primeiro semestre como em 2021. O “efeito Covid” que impulsionou o total de óbitos também afetou o número de nascimentos – a diferença entre os nascidos vivos e mortes registradas na metrópole entre janeiro e junho é a menor de toda a série histórica, iniciada em 2003.

Segundo o Portal da Transparência do Registro Civil, administrado pela Associação Nacional de Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), os cartórios de Campinas registraram 6.021 óbitos entre janeiro e junho, número 47,7% maior que a média histórica, e 45% maior que o do mesmo período de 2020, quando foram contabilizadas 4.152 mortes.

Considerando as informações divulgadas pela prefeitura de Campinas, a cidade teve 2.304 vítimas da Covid-19 nos primeiros seis meses de 2021 – foi o período mais mortal de toda a pandemia.

Já os cartórios da cidade registraram 8.341 nascimentos entre janeiro e junho, volume 14,4% menor que a média histórica, e 9,6% abaixo do contabilizado em 2020. Em toda a série histórica, só é superior ao de 2003, com 7.841 nascidos vivos. Mas a diferença entre nascimentos e mortes era bem maior – veja gráfico abaixo.

“Com o Portal da Transparência, podemos visualizar a real condição que a sociedade está passando, como o grande aumento no número de óbitos e a diminuição dos nascimentos”, defende Luis Carlos Vendramin Junior, presidente da Arpen/SP.

Reflexos da Covid-19

Para a pesquisadora Tirza Aidar, do Núcleo de Estudos de População (Nepo), da Unicamp, os reflexos da Covid-19 são claros nos dois indicadores, por conta da curva acentuada como isso ocorreu.

Tirza destaca que Campinas vinha registrando uma diminuição dos nascimentos em decorrência da contínua queda da fecundidade, número médio de filhos por mulher ao final do período fértil, e envelhecimento da população, quando o crescimento da população com 60 anos ou mais é maior que o da população em idade reprodutiva. Mas os dados atuais refletem impacto direto da pandemia.

“A diminuição entre 2020, e principalmente 2021 é muito acentuada. Entre 2019 e 2020 a queda não se justificaria, já que, em tese, os bebês nascidos no primeiro semestre de 2020 foram gerados antes da pandemia”, pontua a professora.

Apesar do impacto direto da pandemia, a professora da Unicamp destaca que é preciso um período maior para analisar se a Covid-19 vai provocar mudanças mais profundas na natalidade em Campinas.

“Mesmo se parte dessa diminuição dos nascimentos seja devido ao adiamento dos planos reprodutivos em decorrência da crise sanitária, econômica e social na qual estamos imersos desde março de 2020, ainda é cedo para prever esses efeitos no médio e longo prazo”, diz.

Cemitério dos Amarais, em Campinas, em junho de 2021 — Foto: Osvaldo Furiatto

VÍDEOS: veja tudo sobre a região de Campinas

Notícias

Emdec leva conteúdos de mobilidade urbana às escolas

Published

on

 

 

A área de educação de trânsito da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) realizou nesta terça-feira (28/09) a oficina pedagógica “Educação para Mobilidade na Primeira Infância – Intersetorialidade e Garantia de Direitos no Projeto Político-Pedagógico”, com o objetivo de inserir conteúdos de mobilidade urbana nas escolas. Dezenas de educadores do município participaram do evento. 

 

A oficina, a terceira deste ano, é voltada a profissionais das redes municipal, estadual e particular de ensino de Campinas, da Educação Infantil ao Ensino Médio. Apesar do nome primeira infância, as discussões abrangem todas as faixas etárias de crianças e adolescentes. Realizado pelo Microsoft Teams, o encontro integra a programação da Semana Municipal do Trânsito (Semutran 2021). 

 

“Na oficina pedagógica, temos a grande chance de estruturar os valores das futuras lideranças que nos governarão daqui a 30, 40 anos”, projetou, na abertura, o presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva. “É um esforço articulado de educação de trânsito, em que disseminamos acessibilidade, inclusão, respeito e segurança, contemplando todos os segmentos da sociedade”. 

 

O evento foi uma parceria da Emdec e Secretaria Municipal de Transportes (Setransp) com a Secretaria Municipal de Educação e o Comitê Intersetorial pela Primeira Infância Campineira (PIC). O coordenador do PIC, Thiago Ferrari, destacou o caráter intersetorial do processo: “Não é apenas a soma, mas sim a articulação das ações, que se transformam em políticas públicas, empoderando e ouvindo todos os envolvidos”. 

 

 

Segundo Ferrari, Campinas acompanha os países desenvolvidos, que lançam um olhar fundamental sobre a Primeira Infância no planejamento urbano. “Se a mobilidade é segura para crianças de zero a seis anos, isto se estende aos demais segmentos”, comentou. 

 

Também abriu o encontro a gerente do setor de Educação para Mobilidade da Emdec, Roberta Mantovani. “A oficina integra a Semutran, que possui uma programação bastante intensa, multidisciplinar, e é estratégica no Plano de Educação para a Mobilidade 2021-2024, que investe em conhecimento e educação, com ações integradas entre poder público e sociedade civil”, frisou, lembrando da importância da parceria com o PIC e a Secretaria Municipal de

Educação.

 

 

Mobilidade e infância 

 

 

A líder do Processo de Educação e Cidadania da Emdec, Mariangela Pereira, apresentou o tema “Mobilidade e Infância”. 

 

 

A educadora falou dos estudos das condições socioeconômicas e de mobilidade urbana, que são essenciais na definição das políticas de desenvolvimento, a partir da perspectiva das crianças e dos cuidadores. Também contextualizou os desafios: anualmente, mais de 3,3 mil crianças perdem a vida e aproximadamente 112 mil são internadas em estado grave por acidentes de trânsito.   

 

 

As parcerias e trocas de conhecimentos seriam parte da engrenagem que resulta na mobilidade sustentável, segura e autônoma, em um processo pautado pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). 

 

 

Mobilidade Urbana é um potente eixo norteador do projeto político-pedagógico da escola. A educação de trânsito amplia o repertório das crianças, que se percebem protagonistas, sabendo circular com segurança”, explicou a analista de Educação. “A escola pode ser um espaço de fomento da mobilidade que almejamos, propondo ações transformadoras do indivíduo e da própria comunidade”.

 

 

Ou seja, de acordo com Mariangela, levando em conta as características do território, as demandas locais e o contexto socioeconômico, as escolas poderiam ser agentes de transformação da mobilidade urbana. Os educadores trabalhariam o desenvolvimento cognitivo e a consciência cidadã a partir dos deslocamentos da comunidade escolar pela cidade. 

 

 

Ao final da apresentação, os participantes puderam se manifestar e receberam um formulário de diagnóstico, que será preenchido e submetido à Emdec para análise. Além de informações cadastrais, o documento levanta dados de mobilidade, acessibilidade e segurança no entorno, as formas de deslocamento da comunidade escolar, condições socioeconômicas, objetivos e metas ao inserir a mobilidade urbana no projeto político-pedagógico. 

 

 
O diagnóstico é uma das ações para a inclusão ou o fortalecimento da Educação para a Mobilidade nas escolas.  

 

 

Semutran 2021 

 

 

Acesse informações de todos os eventos da Semana Municipal do Trânsito em www.emdec.com.br/semutran2021

 

Continue Reading

Notícias

Mobilidade inclusiva é tema de encontro virtual da Semutran no dia 30/09

Published

on

Mobilidade inclusiva é tema de encontro virtual da Semutran no dia 30/09

28/09/2021 – 17:49


A construção de uma mobilidade urbana inclusiva, segura e sustentável será pauta do encontro virtual intersetorial “Mobilidade x Acessibilidade”, que acontecerá nesta quinta-feira, 30 de setembro, às 14h. O evento integra a programação da Semana Municipal do Trânsito (Semutran) e é realizado pelas secretariais municipais de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, a de Transportes (Setransp) e a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec). 

 

 

Serão apresentadas as ações que já estão sendo adotadas para uma mobilidade mais inclusiva, sobretudo com atenção aos idosos e pessoas com deficiência (PCD). Além destes públicos, o encontro é voltado a profissionais, instituições e familiares que integram a rede de apoio ao idoso e às pessoas com deficiência. A programação é realizada em um momento de confluência de pautas, marcando o encerramento do Setembro Verde, mês dedicado à inclusão social, e o início da Semana do Idoso. 

 

 

O evento contará com a participação dos secretários das pastas de Transportes e de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Vinicius Riverete e Vandecleya Moro, respectivamente; e do presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva. 

 

 

Para participar, é possível realizar inscrição até o dia 29 de setembro (quarta-feira), pelo link  bit.ly/intersetorial_3009. O evento será realizado pela ferramenta Teams e o link será enviado aos inscritos. Mais informações sobre a ação podem ser obtidas pelo e-mail [email protected]​​, ou pelo telefone (19) 3772-7123​. 

Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Continue Reading

Notícias

Trecho da Av. Francisco Elisiário, no Botafogo, terá bloqueio dias 29 e 30

Published

on

Trecho da Av. Francisco Elisiário, no Botafogo, terá bloqueio dias 29 e 30

28/09/2021 – 17:44


 

 

Motivadas pela visita da comitiva do Governo Federal a Campinas, a Secretaria de Transportes (Setransp) e a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) interditarão trecho da Avenida Francisco Elisiário, no bairro Botafogo. O bloqueio, que começa parcial e depois ficará total, ocorrerá no trecho entre as ruas Marquês de Três Rios e Dr. Mascarenhas, ao lado do Complexo BRT da Estação Rodoviária. 

 

 

Na madrugada de quarta-feira, 29 de setembro, será efetuada a reserva de vagas na Avenida Francisco Elisiário. A partir das 8h começa o fechamento total da via. O bloqueio total será intercalado com bloqueio parcial. Já no dia 30 de setembro, a interdição da via será total. 

 

 

As linhas 251, 253, 260, 261 e 264, que circulam pela Avenida Francisco Elisiário e realizam parada na Estação, serão impactadas. Também haverá impacto nas linhas 130, 212 e 229, que circulam pelo Corredor BRT e passam pelo Viaduto Estaiado. Os desvio dos dois grupos de linhas será efetuado pela Marquês de Três Rios, Avenida Governador Pedro de Toledo e Rua Dr. Pereira Lima. A mesma indicação de desvio poderá ser utilizada pelos demais veículos. 

 

 

Agentes da Mobilidade Urbana irão operacionalizar o trânsito na região, realizando as intervenções viárias necessárias. A previsão é de que o trecho da Avenida Francisco Elisiário seja totalmente liberado na noite de quinta, dia 30. 

 

 

Dúvidas sobre a operação do sistema de transporte público coletivo de Campinas podem ser esclarecidas pelo aplicativo CittaMobi, disponível para sistemas operacionais Android e iOS. Ele informa, em tempo real, horários das linhas, itinerários, locais de pontos de embarque / desembarque e acessibilidade dos veículos, entre outras funcionalidades. 

 

 

Para informações sobre o trânsito, acesse os canais do Fale Conosco Emdec, pelo telefone 118, site (www.emdec.com.br); ou pelo aplicativo da Emdec. Para chamadas realizadas a partir de outra cidade ou DDD, o telefone é (19) 3731-2910. 

Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Continue Reading
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement

TAGS

+ VISTOS