Chegada da vacina da Covid-19 que estava prevista para esta terça é adiada em Campinas

Chegada da vacina da Covid-19 que estava prevista para esta terça é adiada em Campinas

O estado adiou a entrega de doses da vacina contra a Covid-19 CoronaVac para Campinas (SP), antes prevista para esta terça-feira (19), e deixou o início da imunização na rede municipal da metrópole indefinida. A informação foi confirmada com o governo de SP pela equipe da EPTV, afiliada da TV Globo, que está no centro de distribuição na capital paulista de onde vai sair o imunizante.

De acordo com o governo estadual, os caminhões que vão sair de São Paulo nesta terça-feira estarão carregados com 305 mil doses da vacina para abastecer os municípios de Santos (SP), São José dos Campos (SP), Sorocaba (SP) e outras 23 cidades da região metropolitana de São Paulo.

O estado pretende entregar as doses do imunizante ainda nesta semana para todos as 645 cidades do estado. A chegada em Campinas, no entanto, não tem uma data exata. A prefeitura espera o recebimento da vacina para iniciar a imunização de 15 mil profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid em hospitais e unidades de saúde das redes municipal e privada.

A mudança vai de encontro com a informação confirmada na segunda (18) pela coordenadora de Controle de Doenças do Estado, Regiane de Paula. Na cerimônia que marcou a primeira vacinação contra a Covid-19 em Campinas, no HC da Unicamp, Regiane disse que as doses chegariam ainda nesta terça ao município, além de outras cidades do interior, o que não vai acontecer.

“A grade é do município de Campinas, como de todos os municípios da Região Metropolitana de Campinas, já está pronta. Ela sai hoje do centro de distribuição e logística e amanhã os prefeitos receberão as vacinas para cada um dos seus profissionais de saúde que trabalham na linha de frente do Covid para que possam vacinar. Então a partir de amanhã todos os municípios receberão a vacina”, disse a coordenadora.

Questionada pelo G1 sobre o motivo do adiamento, a Secretaria Estadual de Saúde, informou apenas que “o envio tem se baseado em critérios logísticos a fim de qualificar a distribuição”.

“A pasta seguirá divulgando diariamente os próximos destinos, bem como seus quantitativos, dando transparência aos estoques previstos para cada local”, completou o governo.

Vacinação em Campinas e no HC da Unicamp

O governador de São Paulo, João Doria, ao lado da enfermeira Liane, do HC da Unicamp, primeira profissional de saúde a receber a vacina contra a Covid-19 no Interior de São Paulo — Foto: Osvaldo Furiatto

Ainda durante o evento que marcou o início da vacinação no HC da Unicamp, o prefeito de Campinas afirmou que esperava a chegada de 15 mil a 23 mil doses nesta terça-feira. A quantidade seria encaminhada a hospitais públicos e privados da cidades para imunização de profissionais da linha de frente da pandemia.

“As informações extraoficiais são que chegaria amanhã [terça-feira] sim. Seria suficiente para vacinar [os 15 mil profissionais de saúde]. A gente não tem o número exato, mas pelas contas que nós fizemos, 15 mil chega”, disse Dário.

Já o lote de 4 mil imunizantes para uso exclusivo do HC chegou no início da tarde de segunda-feira. A cerimônia que marcou o início da aplicação contou com o número simbólico de 20 pessoas vacinadas, sendo 19 profissionais de saúde e uma aluna indígena de Letras.

Vacina chega ao HC da Unicamp — Foto: Priscila Mota/G1

A aplicação regular começou nesta terça e cumpre o seguinte calendário divulgado pela Unicamp na noite de segunda:

  • HC: 1ª dose será aplicada de 19 de janeiro a 29 de janeiro; 2ª dose de 9 de fevereiro a 19 de fevereiro
  • Caism: 1ª dose de 19 de janeiro a 27 de janeiro; 2ª dose de 9 de fevereiro a 17 de fevereiro;
  • Centro de Saúde da Comunidade (Cecom): 1ª dose de 19 de janeiro a 22 de janeiro e a 2ª dose de 9 de fevereiro a 12 de fevereiro.

A CoronaVac foi produzida em parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa SinoVac. O caminhão com as doses da vacina foi levado às 13h20 de segunda ao Cecom.

Antes de descarregar a vacina no HC, médicas responsáveis por coordenar a vacinação na unidade checaram a temperatura em que os imunizantes foram transportados. A CoronaVac precisa ser armazenada entre 2º C e 8º C, e o baú do caminhão que trouxe as doses da capital até o HC registrava 4º C. Após a conferência, as duas caixas com as 4 mil doses foram descarregadas e levadas para o centro médico.

O transporte das vacinas de São Paulo até Campinas contou com escolta da Polícia Militar, que preparou um esquema reforçado de segurança. As vacinas serão distribuídas a partir desta terça-feira (19) para centros de distribuição nas 200 cidades mais populosas do estado, incluindo Campinas, e polos regionais para as prefeituras de cidades menores adquirirem as doses.

Vacina contra a Covid-19 chega na Unicamp, em Campinas

Vacina contra a Covid-19 chega na Unicamp, em Campinas

CORONAVÍRUS

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também

Confidencial divulga oportunidade(s) para Eletricista – v2169999

Descrição Descrição: Residir em Paulínia ou região; LEIA TAMBÉM Curso de Eletricista Compl…