A reportagem apurou que o fim do plantão do 5º DP, ontem, também foi motivado por falta de funcionários

Cedoc/RAC

A reportagem apurou que o fim do plantão do 5º DP, ontem, também foi motivado por falta de funcionários

O plantão do 5º Distrito Policial (DP) de Campinas, no Jardim Amazonas, foi desativado ontem. Segundo o delegado da 1ª Seccional, Roberto José Daher, a medida foi adotada por uma questão administrativa, já que o número de atendimentos seria pequeno e o policial ficava ociosa. No entanto, a reportagem apurou que o fechamento do plantão também foi motivado por falta de funcionários.

Essa não é a primeira vez que o serviço é suspenso na unidade. Em março de 2014, ficou fechado por três dias, mas reabriu após reclamações dos usuários. Na época, a medida foi tomada pelo Governo Estadual após abertura do plantão da 2ª Delegacia Seccional.

A 1ª Seccional contava até ontem com o funcionamento 24 horas do 5º, 4º e 1º DP’s, sendo que a apenas o 1º DP é responsável por flagrantes, além do atendimento de ocorrências corriqueiras. Com a determinação, segue aberto apenas o 4º para atendimento comum. Segundo Daher, no 5º DP eram registrados entre quatro e cinco boletins de ocorrência por plantão. Os atendimentos ocorriam até meia-noite.

Já no 1º DP, maior concentração de registros por ser área central da cidade, são feitas até 30 ocorrências por plantão de 12 horas. “Era desperdício de recursos humanos no 5º DP. Após a meia-noite, o plantonista ficava ocioso até o início do expediente da delegacia, no dia seguinte”, disse o seccional.

Os plantonistas que prestavam atendimento no 5º DP serão remanejados para o 1º DP e também para a 1ª DDM, segundo Daher. Por plantão, havia apenas um funcionário.

Carência

Um levantamento divulgado pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp), referente ao ano de 2018, mostra que o só na 1ª Seccional havia um déficit de 58 policias, entre escrivão e investigadores. Na época, os dois cargos contavam com 214 policiais, enquanto deveria ter 272.

Apesar de o estudo apontar que havia sobras de delegados na 1ª Seccional, na prática há falta das autoridades nas unidades. E a redução do quadro deve ser ainda maior nos próximos meses, com a aposentadoria anunciada de duas delegadas e o pedido de exoneração de um delegado, que passou em um concurso no Sul do País, para ganhar mais.

Há cerca de 10 dias, a delegada assistente da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) pediu aposentadoria. Com tempo de trabalho, a delegada protocolou o pedido e a partir de então, segundo o sindicato, ela tem direito de receber a licença prêmio, que ela já começou a tirar. Também recentemente, a delegada titular ganhou na Justiça uma ação de integralidade e paridade do salário e com isso terá 60 dias para se aposentar.

Sem delegadas, a cúpula da Polícia Civil em Campinas está apreensiva. Na segunda Seccional, o número de delegadas está no limite, já que a unidade funciona 24 horas. A reportagem apurou que o delegado seccional estuda a nomeação de delegados para compor o quadro funcional da 1ª DDM.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) disse que não procede a informação sobre a aposentadoria de nenhum policial da 1ª DDM nesta semana. “A delegada assistente está com aposentadoria prevista para os próximos meses e a 1ª Seccional de Campinas já está providenciando a substituição”, frisou nota.

“O reforço no policiamento em todo o Estado é um dos compromissos da atual gestão, investindo incessantemente na valorização e ampliação policial. Atualmente, estão em andamento concursos para a contratação de 2.750 policiais civis, entre delegados, investigadores, escrivães e agentes policiais. Novos editais serão lançados, conforme a disponibilidade de recursos. O objetivo é realizar concursos anuais para todas as polícias”, enfatizou.

Escrito por:

Alenita Ramirez

Fonte: RAC

Artigos relacionados
Carregar mais por Redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Caderno especial sobre o mercado imobiliário

iStock Mercado da construção civil reage e os lançamentos imobiliários retornam com negoci…