Connect with us

Notícias

Treze empresas aderiram parceria com Prefeitura para acelerar vacinação

Published

on

Treze empresas aderiram parceria com Prefeitura para acelerar vacinação

21/07/2021 – 18:54


Treze empresas aderiram à parceria com a Prefeitura de Campinas para acelerar a vacinação contra a Covid-19 na cidade. Juntas, elas representam cerca de 13 mil funcionários que fazem parte dos grupos que atualmente estão contemplados para receberem a primeira dose (mais de 30 anos, pessoas com comorbidades acima de 18 anos, entre outros). O cadastro foi aberto no final da manhã de terça-feira, 20 de julho. Os dados são da tarde desta quarta-feira, dia 21. 

 

 

 

Com a adesão, os parceiros receberão treinamento, vacinas e insumos para aplicação. Em contrapartida, elas se responsabilizam em vacinar os trabalhadores que pertençam aos grupos que estão sendo vacinados pela Secretaria de Saúde. Para isso, precisarão cumprir alguns requisitos. Entre eles, ter um profissional de enfermagem para a aplicar as doses e duas pessoas para cuidar da digitação dos dados exigidos pelo sistema. Antes de iniciar a aplicação das doses, as organizações serão vistoriadas pelo Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa). O projeto é inédito no Brasil. 

 

 

 

Nesta quarta-feira, 21 de julho, uma equipe esteve na Arcor, empresa que vai sediar o projeto piloto de vacinação. A imunização dos funcionários está prevista para começar na próxima semana.  

 

 

 

Todo o trabalho realizado nas organizações será supervisionado pelo Devisa. Não será permitida a vacinação de pessoas fora dos grupos que estão contemplados. 

 

 

 

As empresas que tiverem interesse devem acessar o site https://vacina.campinas.sp.gov.br/vacinas/covid-19 e fazer a adesão. Os formulários enviados serão avaliados pela Vigilância em Saúde. 

Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Destaque

Principal suspeito por mortes de 2 mulheres em Campinas é ex-inquilino das vítimas, diz polícia

Published

on

Principal suspeito por mortes de 2 mulheres em Campinas é ex-companheiro de amiga delas

Principal suspeito por mortes de 2 mulheres em Campinas é ex-companheiro de amiga delas

A Polícia Civil informou, na tarde desta quinta-feira (16), que o principal suspeito de matar um casal de mulheres a tiros em Campinas (SP) é ex-inquilino das vítimas. Além disso, o homem teria se relacionado com uma amiga delas, que se separou dele com a ajuda de ambas.

O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O delegado à frente das investigações, Rui Pegolo, informou à reportagem da EPTV, afiliada da TV Globo, que Wellington Andrade ainda não foi localizado pela polícia e é considerado foragido.

O G1 não conseguiu contato com a defesa do suspeito até esta publicação.

Andrezza Lira Bezerra, de 37 anos, e Ana Paula Aparecida Vellido, de 39, foram assassinadas a tiros na madrugada desta quinta-feira (16), no bairro Jardim do Lago. De acordo com a Polícia Civil, as vítimas tinham um relacionamento há quatro anos.

O casal tinha ido comemorar o aniversário de uma delas e voltava para casa quando foi surpreendido com os tiros disparados.

Segundo a investigação, as mulheres foram encontradas baleadas na região da cabeça dentro de um veículo modelo Chevrolet Celta. Após os disparos, o carro se chocou contra um poste de iluminação.

Carro bateu em poste após mulheres serem baleadas em Campinas — Foto: Reprodução/EPTV

VÍDEOS: veja tudo sobre a região de Campinas

Continue Reading

Destaque

60 dias de regras: Campinas soma 5,8 mil faltas em dia de vacina Covid agendada e 7,2% justificam ausência

Published

on

CoronaVac, Janssen, Pfizer e AstraZeneca são as vacinas contra Covid-19 aprovadas pela Anvisa para uso no Brasil — Foto: William Silva e Fernanda Elnour/TV TEM; Claudio Vieira/PMSJC; Hélia Scheppa/SEI

Desde o início das regras aplicadas pela Prefeitura de Campinas (SP) para coibir quem tenta escolher o fabricante da vacina contra Covid-19 há dois meses, 5.878 faltas na data agendada foram computadas. Essas pessoas foram submetidas a uma suspensão de 30 dias até poderem remarcar. Do total de ausências, 426 recursos – apenas 7,2% das faltas – buscaram justificar o não comparecimento.

A punição para quem recusa a dose no momento da aplicação é mais severa, leva os moradores para o fim da fila de adultos – que seguem sendo imunizados. Ou seja, não há previsão para que 483 pessoas recebam a primeira dose; elas tiveram que assinar um termo de recusa, se responsabilizando pela decisão.

As regras começaram a ser aplicadas na metrópole no dia 8 de julho, com a publicação de decreto no Diário Oficial. Desde então Campinas passou de 118.245 casos positivos, com 3.853 mortes, para 138.424 infectados e 4.437 óbitos até esta quarta (15). Uma diferença de 20.179 pessoas que contraíram a doença e 584 óbitos registrados.

Vacina Covid-19: faltas e recusas em Campinas
Dado desde início das regras, em 8 de julho, até 10 de setembro
Fonte: Secretaria de Saúde de Campinas

Comparado ao primeiro mês da punição em vigor, os registros de faltas e recusas tiveram queda no segundo mês, de 59% e 72%, respectivamente.

O número de recursos teve alta, mas muito distante da realidade de faltosos. Foram 198 até início de agosto e 228 até começo de setembro.

O que acontece com quem faltar ou recusar?

  • O não comparecimento injustificado na data agendada para a vacinação contra a Covid-19 implica em bloqueio do sistema para o CPF da pessoa.
  • No caso dos faltosos, um novo agendamento só pode ser feito em 30 dias, a depender da oferta de vacinas na cidade.
  • Comparecer ao local de vacinação e desistir ou recusar a dose por causa da marca do imunizante implica em assinatura de um termo de responsabilidade, com assinatura de duas testemunhas.
  • A pessoa que recusa só poderá ser vacinada após o término da imunização de moradores com 18 anos ou mais.
  • Quando for feito para novo agendamento, será ofertada a vacina disponível, não cabendo a escolha da marca do imunizante.

Moradora recebe dose da vacina contra Covid-19 — Foto: Eduardo Lopes

Agendamento aberto

A campanha de vacinação da Covid-19 para moradores com mais de 18 anos de idade segue com vagas disponíveis. O agendamento foi reaberto na última sexta-feira (10) com 17,5 mil vagas, mas a prefeitura ampliou a oferta diante de um remanejamento por causa de faltas e desmarcações, entre outros motivos.

Até a tarde desta quinta (16), 21.266 adultos receberam o imunizante para se proteger contra o coronavírus, desde a última sexta. Também segue aberto o agendamento para a dose de reforço de idosos com mais de 85 anos de idade. Das 8 mil vagas abertas, 3.594 foram agendadas.

O agendamento pode ser feito pelo site da prefeitura ou pelo telefone 160.

Vacina e Covid-19: Devo escolher a vacina ou esperar chegar aquela que eu quero?

Vacina e Covid-19: Devo escolher a vacina ou esperar chegar aquela que eu quero?

VÍDEOS: veja o que é destaque na região de Campinas

Continue Reading

Destaque

Campinas reduz alíquota de IPTU para barracões de logística

Published

on

A Prefeitura de Campinas vai reduzir a alíquota de 2,9% para 1,8% do IPTU cobrada sobre galpões industriais. Desde 2017, quando houve aumento do tributo na cidade, o setor, como o Avança Campinas, reclamou que houve distorção e pediu diminuição para 1%. Serão beneficiados cerca de 500 donos de grandes galpões.

A prefeitura vai deixar de receber R$ 15 milhões. A compensação do tributo virá a partir de redução de gastos da máquina pública.

“Era necessário reduzir a carga dos galpões para trazer novos investimentos e também para corrigir distorções que foram geradas quando do aumento do IPTU. Campinas fica mais competitiva para trazer empregos ligados aos serviços que têm relação com o aeroporto de Viracopos”, disse o prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos).

O secretário de Finanças, Aurílio Caiado, reconheceu que o projeto de lei que será encaminhado para a Câmara é para corrigir um problema. “O fato de ter essa alíquota tão elevada inviabilizava o setor na cidade”, disse ele, que acrescentou que muitos galpões estão fechados.

Regras

Serão beneficiados, locais com mais de 1,5 mil metros quadrados de área coberta e devem estar enquadrados em “não residencial”. Tem que ter um espaço para armazenamento de carga e descarga. Segundo o secretário, a orientação desta última regra foi feita pelos próprios empresários.

Camila Dia, vice-presidente do Avança Campinas, disse que a entidade demonstrou os prejuízos sofridos pela cidade devido ao aumento da alíquota. Segundo ela, Campinas vai atrair o setor porque o ramo opera numa extensão de até 80 quilômetros.

Câmara

O presidente da Câmara, Zé Carlos (PSB) e Luis Cirilo (PSDB), disseram que vão dar celeridade na tramitação do projeto. Os dois trabalharam para reduzir a alíquota do IPTU para os galpões industriais.

Continue Reading
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Advertisement

TAGS

+ VISTOS