CBN

Finalmente uma proposta decente está sendo feita pelos vereadores de Campinas. Três deles estão propondo que toda a fiação aérea de energia elétrica e telefonia passe a ser subterrânea na cidade. O prazo para que todo o serviço fique pronto seria de 12 anos.

A proposta vem dos vereadores Cidão Santos, Marcos Bernardelli e Paulo Haddad. De acordo com eles, os fios aterrados trazem mais segurança e menos custos de manutenção para as próprias empresas, além de reduzir o número de quedas de energia durante tempestades.

Outro motivo é o choque elétrico que pode acontecer por conta de crianças que soltam pipas. Atualmente, a avenida Francisco Glicério está com fiação aterrada em boa parte da sua extensão. Na época das obras, a CPFL gastou 12 milhões de reais no aterramento e as empresas de telefonia, outros 10 milhões de reais.

A discussão está sobre os custos, pois o projeto de lei quer empurrar para que as empresas concessionárias paguem as obras. Já a CPFL diz que apoia o projeto de aterramento até por uma questão de estética urbana, porém os custos devem ser divididos com as prefeituras e outros clientes interessados. Disse também que a responsabilidade para normatizar esse tipo de coisa é da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), além do que, de acordo com a própria Aneel, quem tem que custear o aterramento é o interessado, no caso, a prefeitura.

O projeto ainda vai tramitar por um bom tempo, pois tem que passar por comissões antes de ir para votação.

Da Redação ODC.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também

Com novo recorde, Estado de São Paulo registra mais 28 mortes em 1 dia

Total chega a 164 óbitos; já são 16 municípios com mortes registradas no território paulis…