Bares, restaurantes e lojas de conveniência voltam a ter restrições de funcionamento a partir deste sábado (12) no Estado de São Paulo. Já o comércio em geral e shoppings retomam o expediente de 12 horas diárias com fechamento às 22h. O anúncio foi feito nesta sexta (11) pelo secretário de Estado de Saúde, Jean Gorinchteyn e o coordenador-executivo do Centro de Contingência Covid-19, João Gabbardo.

As restrições foram definidas devido à mudança de perfil etário na demanda por leitos hospitalares de Covid-19. Entre março e novembro, a maioria das vagas era solicitada para pacientes com idade entre 55 e 75 anos. Nas últimas três semanas, os adultos jovens, com idade entre 30 e 50 anos, passaram a ser maioria entre nesta demanda. Os jovens com idade entre 20 e 39 anos representam 40% dos novos casos confirmados e 3,6% das mortes por Covid-19.

Os bares poderão funcionar apenas até as 20h, com capacidade máxima de 40% e devem continuar adotando protocolos como a aferição de temperatura, a disponibilização do álcool gel e a obrigatoriedade do uso de máscaras. Os clientes só poderão ficar nos bares sentados e as mesas devem abrigar, no máximo, seis pessoas.

Nos restaurantes, os protocolos são os mesmos, mas eles poderão ficar abertos até as 22h. A venda de bebida alcoólica, no entanto, só poderá ser feita até as 20h. O mesmo vale para lojas de conveniência que ficam dentro do perímetro urbano nas cidades.

Por outro lado, os shopping centers, que na fase amarela do Plano São Paulo, atual etapa em que todo o Estado se encontra, só poderiam funcionar por 10 horas diárias, agora poderão abrir as portas por até 12 horas. A ideia é evitar aglomerações por conta das compras de Natal.

“São essas as medidas que serão tomadas e iniciadas a partir da 0h do dia 12 e terão a duração de 30 dias, prorrogáveis seguindo os índices da pandemia”, declarou Jean Gorinchteyn. “Temos a necessidade não só de reforçar o sistema de saúde, mas também adotando medidas emergenciais e tendo a possibilidade de uma vigilância que nos garanta a segurança da população”, acrescentou.

O governo do Estado também confirmou a ampliação para mil fiscais da Vigilância Sanitária em suporte às equipes municipais, especialmente em cidades com mais de 70 mil habitantes. O trabalho será reforçado para coibir o funcionamento irregular de estabelecimentos de qualquer natureza, além de festas, baladas e eventos clandestinos. A Vigilância Sanitária Estadual também divulgou balanço de 110 mil inspeções e 1,2 mil autuações por aglomerações e ausência do uso de máscaras.

Imagem: Reprodução

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia também

Multinacional Ericsson divulga oportunidades para Programa de Talentos 2021

Você é uma pessoa curiosa, ligada em tecnologia, gosta de inovação, e quer estar onde o fu…