Quer receber as principais Notícias de Campinas e região pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.

Atualmente, as novas mamães podem acessar um grande número de fontes de informação sobre como cuidar adequadamente de seus filhos recém-nascidos: cursos para gestantes, blogs especializados de muitos pediatras e psicólogos, fóruns de mulheres e, claro, a opinião das avós. Mas, às vezes, pode acontecer de os inúmeros conselhos à mulher que acabou de dar à luz se contradizerem. Em resumo, como uma nova mamãe pode agir bem e ter certeza do que faz?

Algumas autoras do Incrível.club que passaram por essa fase da vida ganharam experiência e estão dispostas a compartilhar com você os erros mais comuns cometidos pelas mães de primeira viagem.

Rejeitar a mamadeira completamente

O leite materno é o melhor alimento que um bebê pode ter. Mas, infelizmente, ocasionalmente pode acontecer de não ser suficiente. Normalmente os hospitais fornecem mamadeiras com leite de fórmula para dar uma ajuda adicional ao recém-nascido, uma questão que algumas mães rejeitam completamente. Consulte bem o seu pediatra, pois a falta de alimentos pode ser muito perigosa para os menores e causar desidratação, algo que pode ser letal.

Alimentar em excesso

Se uma criança chora, nem sempre significa que esteja com fome. O bebê pode reclamar porque sente alguma dor ou simplesmente porque precisa ter a mãe por perto. Mas muitas vezes é sobre acalmar o pequeno com comida, algo que pode causar uma superalimentação. Isso, por sua vez, pode gerar uma sensação de desconforto na barriga, aumento de flatulência e regurgitação.

Não insista se o bebê mover a cabeça rejeitando o peito ou a mamadeira. Se você tem a sensação de que ele se alimenta pouco, verifique com seu pediatra: talvez seja apenas uma opinião subjetiva.

Tirar o leite e dá-lo em uma mamadeira

Às vezes pode acontecer de o bebê não pegar bem o seio. É por isso que, para alimentá-lo, as mães extraem seu leite. Em princípio, não há nada de perigoso nessa prática, mas para ele será mais fácil extrair líquido do bico da mamadeira do que do peito, e pode acabar se acostumando. É por isso que as crianças em tais situações se esquecem de como se alimentar do leite materno, o que leva à formação de uma mordida anormal, problemas de fala e ao fato de que, com a falta de estímulo, a quantidade de leite materno pode diminuir.

Agasalhar demais o bebê

Até recentemente, era um hábito agasalhar muito os bebês, pois acreditava-se que estavam acostumados a uma temperatura alta durante a gestação. Mas o fato é que o superaquecimento pode ser muito perigoso: aumenta o risco de morte súbita. Os pediatras recomendam manter o recém-nascido a uma temperatura confortável entre 18 e 20 graus Celsius no quarto onde ele dorme, não cobrindo-o com vários cobertores ou colocando-o ao lado de um aquecedor. Durante o sono, é aconselhável remover a touca da criança.

Como saber se o bebê está muito quente? Toque sua barriga. Ela deve estar morna, mas não quente. Bochechas avermelhadas e sudorese excessiva também são indicativas de superaquecimento.

Criar um ambiente esterilizado em torno da criança

As gerações anteriores geralmente acham que a criança deve tomar banho com água fervida, as roupas devem ser passadas de ambos os lados, o chão deve ser esfregado e a poeira removida do quarto onde ela dorme. Muitos pais novatos até se livram de seus animais de estimação, temendo pela saúde do bebê. No entanto, os pediatras acreditam que a “esterilidade” excessiva prejudica o sistema imunológico da criança, tornando-a hipersensível.

De acordo com estudos realizados no Centro Infantil Johns Hopkins, crianças que enfrentam germes domésticos e pelos de animais no primeiro ano de vida são menos suscetíveis a sofrer de asma e alergias. Após o primeiro ano, o contato com gatos e cães não tem mais esse efeito benéfico.

Infringir as normas de uso de carrinhos e cadeirinhas de passeios

Infelizmente, nem sempre podemos garantir total segurança aos nossos filhos, mas está em nossas mãos seguir os padrões geralmente aceitos para protegê-los de muitos perigos. Um deles é entrar no elevador com o carrinho, segurando o bebê nos braços. Na verdade, poucas pessoas o fazem, mas pode haver um mau funcionamento no elevador e as portas podem ser fechadas a qualquer momento.

Além disso, os pais muitas vezes atravessam a rua incorretamente quando estão com um carrinho de bebê, empurrando-o na frente de si mesmos. Mas o carrinho se encontra abaixo do nível dos carros e os motoristas podem não ver nada por causa de outros veículos. Recomenda-se levar o bebê no colo.

Balançar o bebê de maneira errada

Muitas vezes, um bebê chora tão alto que qualquer um diria que ele odeia seus pais. E então, mães e pais irritados começam a balançar o filho nervosamente. Não que eles queiram machucá-lo, mas o aborrecimento deixa seus movimentos muito abruptos.

Lembre-se de que os bebês têm músculos fracos no pescoço e que a cabeça deles é mais macia do que a de um adulto. Existe uma alta probabilidade de sofrer uma lesão grave quando o cérebro toca o osso do crânio. É a chamada síndrome do bebê sacudido ou chacoalhado e provoca uma concussão cerebral infantil. Pode fazer com que a criança desenvolva algum tipo de deficiência e até mesmo causar a morte.

Quais erros no cuidado do seu bebê você cometeu? Conte-nos na seção de comentários.

Artigos relacionados
Carregar mais por Redação
Carregar mais em Saúde & Bem Estar

Deixe uma resposta

Leia também

Confidencial está com vaga(s) de emprego para Enfermeiro Educação Continuada

Capacitar os funcionários recém contratados na execução dos trabalhos de enfermagem, de ac…